sexta-feira, 21 de junho de 2013

#Ide e pregai, as boas novas da gentileza!




Ele nos proporcionou a maior das gentilezas!
Ele morreu generosamente na cruz, por pessoas como nós,
 para que pudéssemos entender a mensagem da cruz.
A mensagem do amor maior,
Mensagem da saudação de paz, da graça, da salvação.
Mas enlouquecemos, e nos vestimos de vingadores!
Pegamos da espada e cortamos as orelhas dos que não nos ouvem.
Usamos da autoridade que achamos ser dada por Deus, para ofender, afrontar.
E esquecemos do que é na verdade, loucura para o mundo;
Entrar na cova dos leões confiando na graça!
Crer que o evangelho precisa ser anunciado,
Com o fogo do Espírito Santo, não a ferro e fogo!
E que se Deus quisesse guerra, mandaria anjos prontos para guerrear, e nos fazer obedecer, e nos curvar perante ELE.
Mas Ele não quer mortes, Ele já morreu por nós!
Mas é que durante muitos anos, temos sido raivosos e furiosos
Desejando constranger os outros a crer, no que acreditamos.
Não podemos nada por nossa própria força, mas sim, pelo poder de Deus, que não força, não violenta, não atemoriza ninguém!
Mas alerta sobre atos e consequências.
Não conseguiremos chegar ao coração de ninguém, do jeito tosco de ser, e lidar, sem o amor que nos fez servos, amigos, filhos, e anunciadores do evangelho de Cristo.
Nem turcos com a espada, nem hereges com o fogo, nem judeus com morte e ou humilhação. Nada dessas coisas representam o amor de Deus.
Quando ficamos fanáticos,doidos, totalmente pirados cuspimos na cara, ferimos com ofensa, porque de forma nenhuma, queremos levar desaforo para casa. Afinal, somos guerreiros de Cristo!
Muito Corajoso, mas nada podemos fazer por nossa vontade, e força.
Seria como se fôssemos capazes de mandar
nos corações e espíritos, para torna-los piedosos , dignos, e devotados seguidores de Cristo Jesus.
Só a Palavra de Deus faz isso!
Com violência só conseguiremos separar as pessoas da palavra, de modo a não mais podermos lidar com elas, e trazê-las através do amor, para a vida verdadeira, em Cristo Jesus.
Um belo golpe dado pelo inimigo,
ardiloso como ele só!
E com certeza, um duplo assassinato espiritual!
Desabando o mal sobre nós mesmos, e sobre as ovelhas a serem resgatadas, é  ver o peixe a ser pescado, pulando fora da rede, e é ver o pecador que receberia a salvação, sem o socorro da graça.
Isso não te importa? Deveria!
À medida que usamos o ódio, a discórdia e a violência, como opções de armas, matamos sem cautela, às vezes o corpo temporal, e a alma eternamente!
E diremos depois,que estávamos fazendo um serviço para Deus, e por nossas ações, desejaremos merecer algo de especial no céu. 
Mas na verdade teremos que prestar conta disso tudo, no Juízo final!
Moderação é o que precisamos,Prudência e Sabedoria também!
Às vezes nos iramos quando nos ofendem por seguir a Cristo Jesus,nos mostrando exemplos desagradáveis de alguns cristãos, colocando todos em um só envelope, e rotulando. 
Mas e então? Devemos ofendê-los também?
Creio que não!
O irar, mas não pecar, do texto bíblico, não fala exatamente, que estamos liberados para nos irarmos por qualquer motivo, a toda hora, a todo minuto, ou expressar essa ira com agressões, ou quem sabe, coisa pior, como algumas vezes se vê!
Representamos a amabilidade por natureza espiritual!
Cristo é manso, suave, amável, e precisamos ser imitadores DELE!
Às vezes sucumbimos a natureza grosseira, carnal, que ainda existe e nós, mas da natureza espiritual é que vem o auxílio! O Espírito Santo que habita em nós, nos corrige, nos induz ao perdão. Corrige-nos, instrui, sem algemas, sem rispidez, sem violências, sem raiva, sem fúria, com inimaginável doçura! 
Aprendemos tanto com suas correções!!!
Ah mas, devemos então ser humilhados, pisoteados, ofendidos?
Ele foi!
E eram aqueles tempos, tempos difíceis! Talvez mais difíceis do que este que vivemos.(Se for possível comparar!)
Mas Ele foi também vitorioso!  
Foi exaltado, arrebatado, conduzido ao céu!
E é desse jeito, sendo seus imitadores que chegaremos lá.
E o começo, é desejar ser melhor, ser parecido com o Mestre.
Não é fácil, 
Mas quem disse que seria?



Di Vieira

sábado, 15 de junho de 2013

# RENOVA - ME






Já acreditei muito mais no amor!
No amor que une os irmãos, que independente do nome ou sobrenome escrito na placa em frente a sua casa, serão sempre frutos do mesmo sangue, gerados pelo mesmo amor, e neles não haverá nunca diferenças.
Houve um tempo, e me lembro como se fosse ontem, que entrando em uma igreja a gente podia sentir a docilidade do amor de Deus, amor que pode ser descrito como sinônimo de salvação, carinho, alegria, e paz,  isso tudo, estampado no rosto dos que ali estavam para servir. 
Dizem que se você procurar a igreja perfeita, não achará!
 Até concordo, pois se assim fosse, tal igreja, já não estaria mais aqui, já teria havido um arrebatamento, e isso não é possível, pois não está na palavra de Deus este arrebatamento isolado do tempo que Ele programou.
Dizem também que se alguém achar a igreja perfeita, não entre, porque você certamente a estragaria com sua imperfeição.
Somos realmente falhos, mas a procura da santidade move os nossos corações a caminho da perfeição. E a perfeição está no amor! 
No amor perfeito que nos desobrigou do pecado, quando Cristo assumiu por nós a culpa. 
No primeiro amor que ardia em nós, e nos fazia acreditar que podíamos vencer qualquer mal que nos sobreviesse.
E na pequena igreja onde aceitei a Cristo como meu Salvador, o amor era palpável, sensível ,delicado, verdadeiro, e por isso tudo, muito forte. 
Um amor livre da prepotência, sem partidarismos. 
Vasos de grande singeleza, que foram quebrados e quebrantados, vasos que foram maltratados, e quando tudo parecia perdido, foram renovados pelo autor da nossa vida. Vasos gratos, cheios do azeite do Espírito Santo, cheios de amor ao próximo.
Já acreditei cegamente no amor que une corações, sem interesse nenhum além de simplesmente amar, já chorei amargamente pela desilusão!
Me faz feliz lembrar de ter compartilhado o amor que nos dá confiança, com pessoas como o irmão Álvaro, o irmão Silvério, a irmã Sebastiana, e outras tantas pessoas dispostas a pregar o evangelho, regar e adubar a semente, cuidar para que fique firme, e não só, ser um número a mais no elenco e no banco de uma igreja. Pegaram-me pela mão, me introduziram na casa do Pai onde o amor, é o óleo que desce sobre a cabeça de Arão para abençoar, e é também o combustível motivador do “ide e pregai"!
O irmão Álvaro, era na verdade, o nosso pastor, sensível, atencioso, tão próximo, tão servo, tão ovelha do bom Pastor, como todos nós!
O irmão Silvério, era o nosso Presbítero, cuidadoso, sempre pronto quando convocado a orar e ungir os doentes de sua comunidade, pequena em relação aos megas templos que vemos hoje em dia, mas ele fazia a obra com amor, sabendo que no final das contas, era tudo para o nosso grande Mestre e Senhor.
Não tinha um carro para se locomover, e fazia isso, em todo o tempo, todos os percursos, em sua velha bicicleta.
E a irmã Sebastiana, com humildade e sabedoria, dirigia o conjunto de jovens, aconselhava, guardava os segredos contado, ajudava os que pediam socorro, e tão humildemente quanto todas as outras missões, administrava o grupo das senhoras que oravam e jejuavam, não para que a igreja ou os obreiros fosse rico de bens materiais, ou para que aparecessem nas mídias de todas as formas, mas para que a igreja permanecesse cheia do amor, que só o Espírito Santo nos supre.
Eram realmente vasos consagrados, transbordantes de amor!
Era realmente o amor, que movia aquelas vidas de evangelizadores!
Ativistas que desprezam o grande poder conciliador e pacificador, do amor de Deus, não são vasos restaurados, não são vasos transbordantes do óleo do Espírito Santo, são vasos sem comunhão.
Não pelo fato de tomar ou não, a santa ceia, já que alguns acham que assim têm comunhão, independente do que façam, ou como agem, mas pelo fato de participar dela, e não se alimentar do amor perfeito que o sangue de Jesus nos faz experimentar.
Não há pecado maior que falta de amor!
                                          Não há salvação sem amor!
Não pode haver avivamento sem amor!
Não há fogo no altar onde não há amor, onde há desunião!
O fogo, só é alimentado por madeiras unidas, e união não é simplesmente estar junto no mesmo espaço. 
União, também é ajudar, é acreditar!
Deus não terá prazer em nós, nem aceitará nossas ofertas se não nos esvaziarmos do ego do poder que sangra os olhos, ilude a alma e afeta a visão.
"Deixem a oferta no altar e acertem as pendências com seus irmãos, depois se consagrem a Deus."
 Não é assim?
Consagrem-se vasos vazios de rancores , sem pedras de tropeço, ou rachaduras de desunião.
Vasos que voltam todas as manhãs ao primeiro amor, aquele amor que traz a chuva fresca que nos restaura. 
Então, o fogo do altar vai se acender, vidas, vão se renovar, serão cheias de unção, e então teremos comunhão verdadeira com Deus. Seremos vasos de honra, cheios do Espírito Santo, vasos de honra, não para enfeite, mas para humildemente servir.
Deus exalta, as atitudes de humildade!



Te peço Senhor, começa em mim!
Eu quero, eu imploro, eu preciso a cada momento!


Di Vieira

Hoje é dia de esperança.

Hoje é dia de esperança. Esperança das boas, esperança feita de fé. No caminho ainda estão muitos desgarrados, perdidos como...