sexta-feira, 26 de novembro de 2010

GUERRA URBANA!

Quero falar de uma família, de uma cidade, de uma nação que chora, de uma gente com tendência à alegria, uma pobre gente realmente humana.
Não desses que por baixo do pano armam estratégias, fazem acôrdo, esquecem que têm famílias, filhos, filhas,
E fazem das vidas dos que deles esperam, um inferno!
Gananciosos atraindo o mal, o combate é inevitável, e então se faz a guerra!
Bem não tem, mas dizem que às vezes, ela é necessária
Guerra diária, guerra de nervos, guerra da favela, do asfalto,
Não sei nem o que pensar sobre humanos que pensando fazer guerra, moralizar e despresar conceitos, transgridem leis e nem se importam com os seus.
Gente que podendo viver feliz nessa terra cheia de beleza e poesia, fazem fileiras de gente morta,
Podendo ao invés de sangue e choro, derramar Rios de alegria.
Ah! mas tem gente que se atreve a vencer como o Nós no Morro, Afro Regae,  e outros mais,
Esses sim tem na atitude o poder, tem a minha simpatia e verdadeira admiração! Seres humanos, urbanos iguais de coração.
Ah! meu SENHOR, quando será que acaba,
Esse tráfico de alucinações, essa guerra de poder?
Os carros queimados, o susto, o medo, a dor
Quando será que a vida deixou de ter o seu real valor?
Será que a desordem começou ou se fortaleceu, quando os direitos foram violados, 
Ou quando o  suborno de mãos camufladas, se igualava aos infiéis subornados dando poder de recado ao que estava seguro, e as bombas de fogo detonam a revolta.
Um bando foge pelos morros, por vielas, pensando no local de um novo e terrível ataque,
Tão perto do céu, e querendo o inferno!
DEUS do céu! De onde se agrupou essa gente? Do submundo, do abismo, das mansões?
E aí eu pergunto aos bandidos mocinhos e vilões, é aqui o IRAQUE?
Tropas de guerra enfileiradas, armadas, em uma luta que parece interminável!
Farda de Homens incansáveis, Incansáveis Homens! Incansáveis!
O bem que luta contra o mal,  mas o certo é que todos nós temos muito o que perder.
Mães, filhos, esposas, amigos, cidadãos desarmados, descontentes, minha família, minha gente!
Pequenos inocentes que morrem sem saber o porquê, 
Sem ter nenhuma chance!
Morrem um pouco por mim um pouco por você,
Morrem por uma suposta PAZ esperada, que talves nunca venha,
E por favor, não saia de casa sem antes pegar sua senha,
Senha de vida ou de morte, de guerra ou de paz, 
Estamos cansados de tudo isso? sim estamos!
Mas vamos perder a esperança de ser feliz? 
Não! Nunca! Jamais desistiremos! Desistir, Jamais!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

LINHA DO HORIZONTE!

Achei que tinha uma visível linha no horizonte, e nada!
Achei que a linha pudesse me levar leve pelo desconhecido infinito,
Mas quando se escreve, se perde-se o fio da meada,
E eu aborrecida solto um grito, e me encontro
Lá no ponto, no infinito das linhas pautadas,
Lá onde tudo é possível, onde tudo se pode imaginar.
Naquele momento, mesmo que a lógica não coordene os versos, 
Tudo é real, tudo é verdadeiro!
Nas pautadas linhas tudo pode ser nobre  e sério,
Nada se adivinha, nada se encobre, tudo e nada é mistério!
Pode ser na tela ou no papel que se alinha para ser impresso,
Sua alma é o seu universo, e quando fala o mundo se acalma,
Navega no profundo da alma sobre uma invisível linha 
E saberá que o invisível, pode ser tocado,
Ficará perto do amor distante, e os amantes serão lembrados,
Satisfaço um pouco o meu ego, e depois simplesmente me entrego 
A esse doce e inexplicável momento,
Quando o vento bate suavemente suas asas,
Sobre a invisível linha, onde passeia em paz o pensamento.
E quando o velho coração se acalma, sorri feliz a jovem alma,
E o pensamento que voava errante agora caminha,
E a alma que foi além do horizonte e bebeu água da velha fonte
Nunca mais vai se sentir sozinha!

Di Vieira.


terça-feira, 16 de novembro de 2010

MENSAGEM EM CARTA DA CLAUDINHA!

A CHAVE DA FELICIDADE!!!

A Chave da felicidade pertence a qualquer pessôa que vê nas menores coisas como a vida é bela, como a vida é boa!
A mudança das estações a natureza formosa, as horas douradas do verão ou uma tarde chuvosa,
A música que há no riso, a beleza que há na verdade, a sabedoria da idade, a inocência da mocidade,
Sonhos que no coração teceu, o ir em frente sem temor, o avançar e o ajudar com orações que são ouvidas e respondidas com amor,
Os laços de amor que abraçam nossa amizade, nossa família a nova chance que nasce a cada manhã brilhante,
A vontade de acertar cada dia mais que antes, a mão de alguem para segurar, a promessa que cada dia traz...
A chave da felicidade está em coisas assim... SIMPLES DEMAIS!

carta enviada em 09/12/06

terça-feira, 2 de novembro de 2010

CHORANDO POR DENTRO!

Ontem ouvi a nossa Presidente (a) eleita em entrevista a um repórter e sendo perguntada pela emoção sentida nos momentos após a notificação de sua vitória, dizer que se emocionou muitas vezes, e em outras chorou um pouco, mas chorou muito mais por dentro, disse tambem que em casa ( em seu lar) finalmente chorou inteira!!! Acho que a vida nos ensina algumas coisas, que às vezes são tão cruéis que nos deixam um pouco receosos em demonstrar sentimentos em público, e talves por isso comentem e a pintem, como uma uma mulher durona, e talves seja mesmo em algumas situações. Fiquei pensando nas torturas sofridas por ela naquela prisão no calabouço onde agressões impensadas eram liberandas, e minhas lembranças que nesse caso são sem imagens, se misturaram com os filmes de exércitos terroristas do cinema, cheios de crueldades, sem leis, onde humilhações físicas e morais são permitidas e ou "aconselhadas". Fico pensando que de certa forma ainda tentam  medir nossa emoção, controlar nossos pensamentos, limitar nossos passos, por preconceitos de várias formas, mas a diferença dos dias da repressão da presidente Dilma e hoje, é que temos mais chace e mais opções  para botar a boca no mundo e dizer " Eu sou livre para pensar e lutar por um Brasil mais justo, sem preconceito de nenhuma espécie, sem temor de ser diferente, sem vergonha de chorar quando o coraçao estiver cheio de alegria, tristeza, ou da emoção por ter vencido uma parada qualquer, chorar por fora e por dentro, chorar por ser sensível, humano, Chorar de rir, chorar quando quiser, quando der na telha!

Hoje é dia de esperança.

Hoje é dia de esperança. Esperança das boas, esperança feita de fé. No caminho ainda estão muitos desgarrados, perdidos como...