"Se você se sente cansado apostando corrida com os homens, como é que vai correr mais que os cavalos? JEREMIAS 12 - 5"




Choraminguei!
Abri o livro dos livros buscando conforto, e lá estava o versículo,  "Se sente cansado apostando corrida com homens, e quer ter a força do cavalo?
Parei e fiquei pensando: Afinal, quem eu penso que sou? Sou humano com forças e poderes limitados, apesar de às vezes me achar com super poderes, principalmente quando ponho a casa em pé pra fazer a faxina e no meio de ainda muito por fazer e já quase sem forças, me lembro da Isa e o seu grito de poderosa  "Super Mulher"  antes de começar a lavar a roupa, quando éramos jovens lá na casa da mamãe, e sem máquina de lavar lá nos idos...ah isso não importa né?. Brincadeiras à parte, mas me sinto poderosa quando ao término do dia e vendo  já minha tarefa  feita,  penso no trabalho que deu,  e em como superei as minhas forças, minhas expectativas, e afinal consegui.
Mas às vezes queria ser tão forte que decepções não me abalassem, queria ser tão forte que nada me intimidasse, mas...felizmente não sou forte!
É eu disse felizmente mesmo! 
Felizmente porque o forte nem sempre tem a sensibilidade  de entender os que não são espelho, os sem temor não mantêm os sentidos alerta, não prestam atenção em nada que não seja os músculos da sua arrogância. Então bom mesmo é ser sensível, humano, e empenhar  sua confiança  não em forças de cavalos, mas no terno amor de Deus. Gosto de ser assim sensível, mas às vezes dói demais! Dói a incompreensão, dói a decepção! Queria, como naquele poema oração que todos conhecemos, compreender mais  do que ser compreendido, amar mais que ser amado, perdoar mais que ser perdoado, porque creio  que deveria ser  esse o desejo de todo aquele que de boa vontade se propõem  a seguir a  Cristo, mas às vezes me sinto cansada e frágil como só um humano pode ser, e choro achando que não conseguirei, amar sempre, compreender sempre. Às vezes me sinto incapaz, impossibilitada, mas são as lágrimas da ira, e a cegueira da decepção que me fazem ver assim, que ficam deturpando os meu sentimentos.
Sei que muitos dirão que essa passagem bíblica não pode ser explicada assim, etc...e tal, eu entendo,  mas entendo também que Deus consola, conforta, exorta, ensina, onde, da maneira e como quiser. Na verdade não estou explicando nada, estou relatando o que considerei uma resposta rápida pra mim naquele momento, e que me fez pensar, sarou minha dor, e então eu quis partilhar. Era aquele momento do relato bíblico um momento diferente mas de sentimentos iguais, decepção, força, fraqueza, conversa com Deus.
As lutas, as aflições, os conflitos fazem parte da convivência, e entendi afinal, que me decepcionarei algumas vezes ainda nessa vida, que poderei  me irar algumas vezes ainda nessa vida, que poderei chorar algumas vezes ainda nessa vida, mas o que eu não posso fazer nessa vida, é deixar de amar por medo de sentir coisas desse tipo!
Acho que é isso!!!
Se ser forte é não ter medo de amar, então pensando assim, eu sou!
Se ser destemido é se arriscar, então eu quero sempre me arriscar a amar, Apesar de não ser tudo nem todos do jeito que você quer!
Não vou competir com cavalos magníficos em força, mas serei mais inteligente que eles! Não correrei mais que homens, mas andarei lado a lado tentando entende-los, e tentando me fazer entender. 
Mesmo sendo essa às vezes,  a mais difícil das missões!




Di Vieira 

Comentários

Postagens mais visitadas