UM CORAÇÃO BOM!





Conheci nesses últimos meses uma certa pessoa e por uns desses motivos da vida passamos a conviver quase que diariamente. Passando-se uns dias nessa nossa convivência pensei ter encontrado uma pessoa simples, educada, que parecia ter um bom coração!” Essa coisa de bom coração estava constantemente sendo repetida em meu ouvido, já que ela falava sobre o seu bom coração em todas as nossas conversas, por isso depois de algum tempo, comecei a achar muito estranho essa coisa do "Bom coração".
Ela comentava ser bastante unida à mãe, que a amava muito, e por causa disso e outras coisas mais as irmãs tinham ciúmes, falou também que só ficava chateada com ela (a mãe) por seguir tal igreja que segundo diz,  está acabando com todo o dinheiro da aposentadoria de sua “mãezinha”. Com relação a igreja, ela acha inclusive que fizeram uma lavagem cerebral na pobre senhora!
No começo ainda fiz alguns comentários sobre a impossibilidade de ter sido feita uma lavagem cerebral, e que se a mãe estivesse com suas funções mentais em ordem, seria inútil brigar por isso, mas quem sabe se ao invés de fazer acusações a tal igreja ela tentasse conversar,  dizer que as coisas de Deus não se compram, essas coisas! Mas percebi que ela sempre queria acalorar a conversa, já ia envolvendo outros evangélicos que conhecia, a tia, a vizinha, a partir daí comecei achar que algo estava  errado com aquela pequena de coração tão bom! Algo me dizia que ela queria de alguma forma discutir religião, denominações etc...parecia tentar me deixar constrangida porque esses assuntos só surgiam em presença de uma outra pessoa que diz não acreditar em Deus, em Cristo, e talvez por eu já ter dito que não acho legal discutir crenças, na verdade acho que nenhuma discutição leva a lugar algum!!!
Sozinha comigo, eu e ela, essa menina de tão bom coração que não é tão menina, e que no meu pensar nem tem tão bom coração assim, falava das barbaridades que as sobrinhas fizeram com a pobre irmã doente, um pouco antes de morrer, (coisas terríveis!) falava das falsidade das irmãs, que sempre  desejaram o mal para ela e os filhos, e torciam para que o casamento da filha não fosse adiante, diz que sofre com as invejas das irmãs por ela antes ajudar a mãe em tudo, inclusive foi quem a ensinou a retirar o dinheiro da aposentadoria no banco (enciumadas diziam que a mãe a beneficiava, ela jura por tudo que acha sagrado, que não!) E eu que nada tenho com isso, acho que mais uma vez pelo meu lado sentimental, olhando as pessoas que me sorriem como pessoas legais,  acho sim é que mais uma vez me enganei! Mas dou graças a Deus que foi um engano rápido e sem danos maiores, graças a Deus que essas coisas acontecem para talvez olharmos mais para a nossa família e vermos se estamos sendo francos e de coração sincero uns com os outros, e graças a Deus por continuar a olhar as pessoas sem medo de ser feliz, sem o olhar negativo do conceito pré. Mas voltando ao assunto, um dia após uma outra conversa sobre as malfadadas intrigas que ela diz que as irmãs fazem contra ela, eu olhei à nos olhos e perguntei se ela continuava convivendo e conversando normalmente com as irmãs sem abrir para elas e não para outros, o coração magoado,  como podia fazer de conta que nada tinha acontecido, e ficar sem saber se as intrigas e fofocas das irmãs aconteceram de verdade, já que ela disse que soube do fato por outra pessoa,( diz que Deus através de outra pessoa, sempre mostra pra ela!) como pode continuar a conviver sem perdoar e sem ser perdoada guardando no peito uma mágoa que só faz crescer a distância entre a família? 
E ela olhando nos meus olhos com aquele olhar de “Como eu sou humilde!” respondeu com voz melodiosa “O que eu posso fazer se sou assim com esse coração bom que Deus me deu ? O que eu acredito é que o que se faz aqui, aqui se paga e uma delas já está pagando com o netinho doente!” 
Fiquei de boca aberta ouvindo isso! Meu Deus que coração bom é esse que ela acha que lhe deste Pai?    Queria dizer muitas coisas, tipo “Bom é só Deus e Ele não faria mal a uma criança só pelos erros da avó!” Bom é não “falar e não querer mal a ninguém.” “Bom é conhecer um pouco mais esse Deus que como você disse lhe deu um coração tão maravilhoso!” Pensei em falar mas naquele momento não seria legal porque Jogaria naquela conversa muito da minha indignação, muito de mim! E naquele momento eu estava chateada por ter me enganado tanto! Chateada, e com dó das irmãs que nada sabiam do que estávamos falando e portanto não poderiam se defender ou contradizer, e de verdade muito mais por ela que se dizia a melhor pessoa da família e a de "tão bom coração", dizia isso sem nenhum constrangimento ou modéstia!
 Agora escrevendo essa postagem  e um pouco mais no meu equilíbrio, peço a Deus que transforme mesmo aquele coração em um coração como o de Davi, agradável a Deus,  que coloque em lugar das mágoas e fofocas em família, um amor duplicado, e que todos nós que fazemos parte de uma família almejemos realmente ter um coração semelhante ao de Cristo, uns para com os outros.
Oro pelas irmãs dessa pessoa, ( algumas eu até conheço) oro também e principalmente por ela, pedindo que qualquer que tenha sido o problema familiar, mental ou espiritual, que a deixou assim sem medida, eu sei que Deus pode cicatrizar as feridas, transformar corações, dar vida nova, e só Ele pode!
Dirija a Deus você também por um momento um pedido por ela e família, por sua  própria família, e por minha família também, eu oro por você, você ora por mim e juntos oraremos pelas famílias em geral, pois creio que só a graça de Deus pode nos manter unidos no amor .

Di Vieira

Comentários

Postagens mais visitadas